Ir direto para menu de acessibilidade.
Página inicial > Mais Notícias > Perspectiva indígena sobre o ensino de línguas é apresentado na 2ª Sallifap
Início do conteúdo da página

Perspectiva indígena sobre o ensino de línguas é apresentado na 2ª Sallifap

Publicado: Segunda, 27 de Maio de 2019, 12h20 | Última atualização em Terça, 28 de Maio de 2019, 10h08
O trabalho foi apresentado por estudante indígena do Campus Avançado Oiapoque

De 22 a 24 de maio aconteceu no campus Macapá do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Amapá (Ifap) a 2ª Semana Acadêmica de Licenciatura em Letras do Ifap (Sallifap). O evento contou com uma vasta programação, reunindo produções científicas, oficinas, palestras e mesas-redondas em torno da temática “Educação, Tecnologia e Ensino de Línguas – Desafios e Perspectivas”. Dentre as atividades propostas,  estava a apresentação de trabalhos produzidos por estudantes da instituição.

Leia mais:: Semana Acadêmica reúne programação de quatro eventos no campus Macapá | Campus Oiapoque tem 160 vagas em cursos subsequentes:

Na tarde do dia 23, a estudante Elizandra Monteiro dos Santos, campus Avançado Oiapoque, participou da programação destinada às comunicações orais e relatos de experiências e apresentou o trabalho “A perspectiva indígena sob o ensino de línguas no Ifap/Oiapoque”, no qual destaca sua percepção sobre o ensino dos idiomas francês, inglês, português e Libras na instituição. Elizandra é de origem indígena Karipuna.

Para a estudante, a apresentação do trabalho no evento permitiu uma experiência a mais em sua formação escolar, bem como uma conquista como indígena. "Acho muito importante mostrar a língua indígena, como as diferenças das outras línguas [se apresentam]", disse Elizandra. 

Segundo ela, antes de ingressar na instituição, nunca teve nenhum contato com a língua inglesa, o que passou a ocorrer com os estudos no curso técnico. Ao mesmo tempo, a estudante considera que não há dificuldades para o aprendizado da língua francesa, visto que sua língua materna, o Kheuól, possui em sua base lexical o francês.

Durante o relato de experiência, Elizandra destacou que, quanto ao aprendizado da língua portuguesa, sua dificuldade estava mais na composição estrutural de documentos, como a produção de ofícios, parte importante da formação do curso técnico. Contudo, "aprender um assunto novo sempre é muito proveitoso”, afirmou. A estudante também tem boas expectativas das futuras aulas que terá da Língua Brasileira de Sinais (Libras) durante o curso de Pedagogia (Ifap/AUB). Para a estudante, a expectativa é de que a apresentação do trabalho no evento desperte novos interesses aos ouvintes sobre o Oiapoque e a língua indígena.

Orientadores 

O trabalho de Elizandra Santos foi orientado pelos professores do Ifap em Oiapoque Mayara Costa e Marcos Costa e trata-se de um desdobramento do Projeto de Extensão “Francës Básico para os Povos Indígenas – Nível A1”, realizado no ano de 2017 na aldeia do Manga, Terra Indígena Uaçá. 

De acordo com a professora Mayara Costa, "a proposta do trabalho foi apresentar a percepção indígena, por meio de um relato de experiências, sobre o ensino de línguas ofertados no Ifap em Oiapoque, discutindo sua vivência em seu aprendizado, nuances e dificuldades vislumbradas pelos indígenas da região”, explicou.

Para a professora, a estudante  é um exemplo da concretização de um dos princípios norteadores da atuação do Ifap, a verticalização do ensino. Mayara contou que a orientanda teve o primeiro contato com a instituição através de um curso de extensão na aldeia onde reside, em seguida ingressou no ensino técnico subsequente no campus Avançado e agora, concomitantemente, estuda o curso superior no Ifap.

O professor Marcos Costa avalia a apresentação de Elizandra como positiva, especialmente pela oportunidade que a estudante teve de expressar a visão de uma indígena sobre o ensino de línguas no Ifap e pela troca de experiências com os estudantes de Macapá.

Karipuna

De acordo com o site Povos Indígenas no Brasil e o Instituto Socioambiental (ISA) , "Os Karipuna fazem parte do complexo de povos indígenas da região do baixo rio Oiapoque, que estão inseridos em redes amplas de intercâmbio, que englobam famílias índias ou não índias estabelecidas em aldeias e cidades vizinhas, no Brasil e na Guiana Francesa".

Língua Kheuól

Língua indígena de base lexical francesa e falada pelas etnias Karipuna e Galibi-Marworno da região de Oiapoque.

 

Com colaboração de Mayara Costa;

Seção de Gerenciamento da Comunicação Social do campus Macapá

Instituto Federal do Amapá (Ifap)

Fone: (96) 3198-2159

E-mail: Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

Twitter: @ifap_oficial

Facebook: /institutofederaldoamapa

 

 

 

registrado em:
Fim do conteúdo da página